Elementos visuais como cores e texturas são foco do estudo

(São Caetano do Sul – SP) – Uma ida ao mercado não é tarefa tão simples quanto parece. A comparação entre preços e atributos de marca não são os únicos fatores em jogo quando se fala na indústria alimentícia: as informações nutricionais disponíveis nos rótulos têm recebido crescente atenção por parte dos consumidores. Para o designer e professor universitário Luiz Gustavo Rodrigues, o assunto rendeu a dissertação de mestrado “Comunicação visual de embalagem para produtos alimentícios orgânicos” que, como o próprio título entrega, foca o mercado de produtos orgânicos. “A preocupação com o bem estar e com a saúde é, atualmente, uma tendência muito valorizada pelo consumidor e tem influenciado diretamente a mudança dos hábitos alimentares. A busca por produtos alimentícios saudáveis tem aumentado à medida que o consumidor descobre seus benefícios”, conta Luiz.

Em seus estudos, o pesquisador analisou os elementos visuais da comunicação das embalagens dos seguintes produtos: café, suco de uva tinto integral e cookies, todos orgânicos e encontrados facilmente em mercados. “A falta de comunicação ainda é um dos maiores entraves no consumo de alimentos orgânicos e a embalagem se torna peça fundamental e uma boa oportunidade para promover os atributos desse tipo de produto”, conta. Embora não haja uma linguagem específica para a categoria dos orgânicos, o pesquisador aponta que há elementos visuais que sugerem a “filosofia dos orgânicos”, como o uso de cores verdes e por elementos de aspectos mais antigos, que lembram épocas passadas ou produtos artesanais. O alto custo de embalagens inovadoras também leva a indústria a lançar mão de embalagens padrão, sem traços distintivos dos produtos saudáveis ou convencionais. “Quando uma marca de empresa alimentícia oferece ao mercado uma linha de produtos na qual o orgânico está entre eles, a preocupação recai sobre a identidade da marca e a maneira como essa linha será reconhecida. Os elementos visuais presentes nas embalagens seguem um padrão gráfico normalmente presente nas formas, letras e composição, o que permite a facilidade do consumidor relacionar visualmente os produtos entre si”, explica Luiz.

“Portanto, a oportunidade em se criar uma linguagem visual inovadora específica, que facilite e identifique a categoria de produtos orgânicos e que reflita seus conceitos, ainda não é explorada pelas empresas fabricantes, produtores ou cooperativas, cabendo ao consumidor a hábil tarefa para encontrar no vasto universo das embalagens o produto orgânico que busca”, conclui.

Doutor em Semiótica e orientador do trabalho de Luiz, João Batista Freitas Cardoso afirma que “a importância da pesquisa está no alerta que faz sobre os possíveis enganos dos consumidores no momento de escolha dos produtos. Apesar de os produtos orgânicos serem os únicos com certificação própria, outros produtos do grupo chamado ‘saudáveis’ fazem uso de elementos visuais que remetem ao mercado orgânico”.

A dissertação de mestrado de Luiz Gustavo Rodrigues está disponível para consulta – na íntegra – no link:

http://www.uscs.edu.br/posstricto/comunicacao/dissertacoes/2013/pdf/DISSERTACAO_LUIZ_GUSTAVO_RODRIGUES.pdf

O programa de Mestrado em Comunicação da USCS objetiva contribuir com a geração e difusão do conhecimento científico no campo da Comunicação e, com isso, dar consecução à missão da USCS junto à comunidade interna e externa. Pretende ainda contribuir na formação de pesquisadores e docentes com visão crítica e científica do campo da Comunicação face a uma sociedade em constante transformação. Informações sobre o programa: http://www.uscs.edu.br/posstricto/comunicacao/.

Mais informações à imprensa:

Universidade Municipal de São Caetano do Sul – Assessoria de Comunicação

Luciano Domingos da Cruz – tel. 4239-3259 – e-mail: comunic@uscs.edu.br

11/12/2014

Pesquisa na USCS analisa embalagens de produtos orgânicos