Experimento realizado por pesquisador da USCS indicou rápida curva de compreensão de estudantes de curso técnico que usaram a ferramenta e-Folks, com diferencial pelo uso de tags

(São Caetano do Sul – SP) – A discussão sobre como se apropriar de sistemas disponíveis em redes sociais virtuais para facilitar o aprendizado motivou o educador Bruno Zolotareff dos Santos a estudar uma ferramenta capaz de colaborar com este processo de construção do conhecimento. Graduado em Tecnologia da Informação, o especialista pesquisou como o sistema e-Folks – método de organização de dados online – pode ajudar o estudante a compreender o conteúdo disponível na Web.

Durante três anos, o professor observou a dificuldade de seus alunos na busca por conteúdos da Internet. Após análise preliminar, o educador percebeu que o motivo desta “dispersão” está relacionado ao crescente volume de materiais disponíveis no ambiente virtual e ao pouco senso de organização e sistematização dessas informações, além da falta de tempo dos alunos para a análise desses materiais. “O estudante não consegue atingir seus objetivos em um sistema de aprendizado na Web”, constata.

Com a problemática em mente, o pesquisador avaliou que a simples disponibilização de conteúdo em plataformas de e-learning (educação a distancia por mídia eletrônica) não garante que o usuário entenda a informação. Para identificar as causas das dificuldades, o mestre em Comunicação pela USCS (Universidade Municipal de São Caetano do Sul) propôs um estudo exploratório e experimental realizado no ambiente online, utilizando a folksonomia – que potencializa as escolhas mais interessantes aos alunos por meio de tags – no processo de classificação de conteúdo individual ou em grupo.

O questionamento do educador resultou na dissertação Construção Colaborativa: estudo do emprego da Folksonomia em Sistemas e-Learning, onde ele analisa como este método facilita a recuperação de informações no processo de aprendizagem do aluno. O experimento contou com a participação de 40 estudantes do nível médio da escola ETEC de Ribeirão Pires, aplicado na cidade de Ribeirão Pires. A descoberta mais importante é que a ferramenta e-Folks proporcionou um ambiente colaborativo capaz de ser utilizado no processo de ensino e aprendizagem.

Segundo Santos, o uso da Internet para acesso ao sistema e-Folks possibilitou fácil consulta aos sites de busca, permitindo que os alunos encontrassem as respostas que envolviam o objeto de estudo. “Esta ferramenta potencializa pode indicar conteúdos mais adequados como subsídio para a aprendizagem”, reforça o autor da pesquisa.

Os resultados indicaram uma rápida curva de aprendizagem pelos alunos de duas turmas do curso técnico participantes do experimento, além disso, foi possível avaliar que a agregação coletiva de conteúdos pode auxiliar os estudantes em sua aprendizagem. “O método, que disponibiliza recursos de folksonomia, propõe uma tecnologia inovadora em sistemas e-learning”, conclui o professor, que não encontrou o recurso de folksonomia em outras plataformas de e-learning enquanto realizou sua pesquisa.

O estudo desenvolvido pelo especialista foca duas áreas específicas: Comunicação e Educação. “Nota-se uma ferramenta de ensino-aprendizagem capaz de melhorar a aprendizagem e, consequentemente, o rendimento dos estudantes, incentivando-os a redescobrir seus potenciais à medida que vão interagindo com o sistema”, defende Santos, ao garantir que o modelo pode auxiliar o trabalho de professores, coordenadores ou alunos, na medida em que possibilita um novo canal de comunicação para a “construção social do conhecimento”.

CONCEITO – Orientador da pesquisa, o professor doutor Elias Goulart esclarece que a folksonomia é um mecanismo de classificação de recursos (links, fotos, vídeos etc.), que ao invés de ter as categorias elencadas por especialistas, os usuários os associam a ‘termos’, ou tags na linguagem online, cuja maior repetição pode indicar melhor descrição do recurso, ou sua categorização.

Segundo Goulart, quando um material online, uma aula de química, por exemplo, é indicada por pelos alunos da turma como sendo melhor associada a um conceito, esse material é classificado por todos (folk) e pode melhor indicar os materiais, ou recursos, mais adequados. “O emprego da folksonomia na educação é um mecanismo com importante potencial de reforçar a aprendizagem e a dissertação do Bruno assim indicou”, reforça.

A dissertação de mestrado de Bruno Zolotareff dos Santos, Construção Colaborativa: estudo do emprego da Folksonomia em Sistemas e-Learning, está disponível para consulta – na íntegra – no link:

http://www.uscs.edu.br/posstricto/comunicacao/dissertacoes/2014/pdf/Dissertacao_BrunoZolotareffdosSantos.pdf

Sobre o Mestrado em Comunicação da USCS

O programa de Mestrado em Comunicação da USCS objetiva contribuir com a geração e difusão do conhecimento científico no campo da Comunicação e, com isso, dar consecução à missão da universidade junto à comunidade interna e externa. Pretende ainda colaborar na formação de pesquisadores e docentes com visão crítica e científica do campo da Comunicação face a uma sociedade em constante transformação. Informações sobre o programa: http://www.uscs.edu.br/posstricto/comunicacao/.

Mais informações à imprensa:

Universidade Municipal de São Caetano do Sul – Assessoria de Comunicação

Luciano Domingos da Cruz – tel. 4239-3259 – e-mail: comunic@uscs.edu.br

27/05/2015

Sistema que organiza conteúdo na Web facilita aprendizagem de alunos de e-learning, revela estudo