Estudo observa as perspectivas inovadoras para a comunicação do ensino superior a partir das redes sociais virtuais

(São Caetano do Sul – SP) – Atenta às transformações sociais e, em especial, comunicacionais desencadeadas pelo surgimento das redes sociais, a pesquisadora Rogéria Campos Ramos se propôs a investigar de que maneira as universidades públicas brasileiras utilizam essas novas ferramentas. O estudo, intitulado “Redes sociais virtuais: o uso do Twitter pelas universidades públicas” observou 14 diferentes universidades públicas do país, incluindo estaduais, como a Universidade de São Paulo, e federais, de Estados como Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pará e Mato Grosso do Sul, por se destacarem como as que mais fizeram uso da rede social virtual, em específico o Twitter.

O microblog foi escolhido por seu potencial de comunicação imediata – característica, aliás, que não é plenamente aproveitada pelas universidades, aponta a pesquisa. Rogéria, que possui Licenciatura em Letras Modernas e é professora na cidade de Rio Verde, em Goiás, afirma que “o Twitter tem se configurado como um instrumento que promove a disseminação da informação, por estar inserido em um cenário em que cada vez mais se buscam ferramentas colaborativas e interativas, que possibilitem a interação de informações em grande alcance”. Considerado isto, a pesquisa observou que as universidades continuamente divulgam eventos ocorridos em seus campi, organizam atividades e postam assuntos relacionados à administração. A divulgação de conteúdo educacional, contudo, ainda é deficiente. Rogéria afirma ainda que o Twitter “pode ajudar na divulgação dos conhecimentos referentes à Universidade, como também pode colaborar com os docentes na propagação de suas propostas de ensino”. Para a pesquisadora, há potencial para que as universidades estejam conectadas entre si e valorizem mais os atores com que se relacionam no meio virtual.

Para o docente do Programa de Mestrado em Comunicação da USCS e orientador da aluna, Elias Estevão Goulart, “os resultados da pesquisa apontam para a realidade de que, embora o Twitter seja uma das plataformas mais utilizadas pelos jovens, com rapidez e objetividade em sua forma de uso, as instituições superiores pesquisadas não a empregam eficazmente. Algumas possuem conta na plataforma e percebeu-se maior uso pelo setor de relações públicas, a despeito das instituições escolhidas possuírem programas stricto-sensu em Comunicação”. Para Goulart, “o adensamento da apropriação destas ferramentas online deverá ocorrer, provavelmente, com a chegada na gestão das instituições de uma nova geração de gestores altamente conectados”.

A dissertação de mestrado de Rogéria Campos Ramos está disponível para consulta – na íntegra – no link:

http://www.uscs.edu.br/posstricto/comunicacao/dissertacoes/2012/pdf/ROGERIA_CAMPOS_RAMOS.pdf

O programa de Mestrado em Comunicação da USCS objetiva contribuir com a geração e difusão do conhecimento científico no campo da Comunicação e, com isso, dar consecução à missão da USCS junto à comunidade interna e externa. Pretende ainda contribuir na formação de pesquisadores e docentes com visão crítica e científica do campo da Comunicação face a uma sociedade em constante transformação. Informações sobre o programa: http://www.uscs.edu.br/posstricto/comunicacao/.

Mais informações à imprensa:

Universidade Municipal de São Caetano do Sul – Assessoria de Comunicação

Luciano Domingos da Cruz – tel. 4239-3259 – e-mail: comunic@uscs.edu.br

10/03/2014

Uso do Twitter por universidades públicas brasileiras é tema de pesquisa na USCS