Foram quatro releituras da obra de Machado de Assis nos últimos 30 anos; inovação aparece no estilo dos artistas, que valorizam cada tipo de arte ao contar a história

(São Caetano do Sul – SP) – Clássico da literatura brasileira, Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881) sofreu quatro releituras nas últimas três décadas para dar vida a dois filmes e duas HQs (Histórias em Quadrinhos). Foram tantas adaptações para atender diferentes públicos, que uma pesquisadora decidiu realizar um estudo científico para avaliar as divergências e o processo de inovação entre o texto original de Machado de Assis e as obras transcodificadas para os quadrinhos e para o cinema.

A pesquisa de Iêda Lima dos Santos, mestre em Comunicação pelas USCS (Universidade Municipal de São Caetano do Sul), compara a obra na literatura e os filmes Brás Cubas (1985), dirigido por Júlio Bressane, e Memórias Póstumas (2011), de André Klotzel. Além da linguagem cinematográfica, a pesquisadora analisou as versões em quadrinhos de Sebastião Seabra (2008) e César Lobo e Luiz Aguiar (2013). Os resultados do estudo estão na dissertação “Transcodificação da obra Memórias Póstumas de Brás Cubas em diferentes mídias”, concluída neste semestre.

A primeira observação destacada pela autora é diferença de cada tipo de arte. “Nos quadrinhos os autores se diferenciam pelo próprio estilo. Estabelecem uma gama de detalhes como se tivessem se aprofundado em cada palavra do texto literário”, conta, relatando que os desenhos são extremamente ricos em traços, cores, movimento e mostram o que “a imaginação veria” ao apenas ler o livro de Machado de Assis.

Na avaliação de Iêda, as traduções feitas da literatura para os quadrinhos ainda não são populares por mero preconceito. Ao defender a adaptação, a pesquisadora fala sobre a sensibilidade de cada artista ao recriar a obra. “Seabra é mais sutil, conta a história completa, sem rodeios nas ilustrações, como se fosse um resumo da obra em desenhos; Lobo e Aguiar ostentam o relato machadiano, parece que se preocuparam realmente em mostrar a arte quadrinhográfica. Inovam a literatura em traços delineados minuciosamente.”

NA TELA – Ao avaliar a inovação nos filmes que resgatam a literatura, Iêda reforça que Bressane é ousado. “Nada convencional, definitivamente ele conta a história de Brás Cubas misturando até outras literaturas de Machado de Assis. Abre um leque para o diálogo. Resumiria que é um bate papo encenado sobre um livro com cenas e sequencias livres, sem as regras comuns de uma gravação, um cinema redefinido”, considera a autora.

Por outro lado, Klotzel mantém-se fiel aos mínimos detalhes da obra, avalia a pesquisadora. “É como se fosse um vídeo-livro, tamanha semelhança. É uma tradução imagética. Pareceu-me ler o texto, mas transformando-o em um filme em minha mente. O defunto-autor rouba a cena literalmente em todas as sequências analisadas, e mostra saber que está numa época atual contando o que se passou há 100 anos”, resume.

Para Iêda, as transcodificações têm características distintas, pois cada autor conseguiu inovar ao seu modo sem deixar morrer a ideia principal do livro. “Em análise comparativa, se é possível tal artimanha com autores tão diferentes, diria que Bressane faz do filme algo reflexivo, presta opinião em imagens, e Klotzel faz um cinema narrativo com um defunto-autor cheio de expressões ao contar sua história.”

Orientador da pesquisa, o professor doutro Roberto Elísio dos Santos salienta “que este trabalho demonstra que um texto clássico da literatura brasileira pode ter releituras contemporâneas em duas formas de comunicação midiáticas diferentes, histórias em quadrinhos e cinema, sem perder sua essência, no caso a ironia e a iconoclastia de seu autor, Machado de Assis”.

Sobre o Mestrado em Comunicação

O programa de Mestrado em Comunicação da USCS objetiva contribuir com a geração e difusão do conhecimento científico no campo da Comunicação e, com isso, dar consecução à missão da universidade junto à comunidade interna e externa. Pretende ainda contribuir na formação de pesquisadores e docentes com visão crítica e científica do campo da Comunicação face a uma sociedade em constante transformação. Informações sobre o programa: http://www.uscs.edu.br/posstricto/comunicacao/.

Mais informações à imprensa:

Universidade Municipal de São Caetano do Sul – Assessoria de Comunicação

Luciano Domingos da Cruz – tel. 4239-3259 – e-mail: comunic@uscs.edu.br

Pesquisa da USCS avalia adaptações de Memórias Póstumas de Brás Cubas para o cinema e HQ