Professor pesquisou a implementação de oficinas de fanzines no Ensino Médio e identificou que a prática garante aos alunos melhor compreensão de problemas sociais

(São Caetano do Sul – SP) – O desafio de aproximar jovens do ambiente escolar mobiliza educadores a se apropriarem de práticas inovadoras para estimular o aprendizado. Uma das possibilidades é usar HQs (Histórias em Quadrinhos) no ensino de Artes no Ensino Médio. Segundo estudo do Mestrado Acadêmico da USCS (Universidade Municipal de São Caetano do Sul), a prática pode ampliar a experiência cognitiva dos alunos, permitindo melhor compreensão dos problemas cotidianos.

Na dissertação “Histórias em quadrinhos e arte-educação: sistemas abertos e diálogos como inovação para aprendizado de artes no Ensino Médio”, o professor José Luis dos Santos discute como uma oficina de fanzine de quadrinhos poético-filosóficos pode facilitar e democratizar o acesso ao conhecimento. “O estudo considera as transformações das sociedades, mediadas por meios de comunicação e informação, e seu impacto nas relações sociais”, conta o autor.

Ao avaliar de que forma os quadrinhos – como veículo de comunicação – criam espaço de convivência e ação comunicativa no ensino da Arte, o educador aponta a falta de escolas que ofereçam essa troca de experiência, “são sistemas fechados, burocráticos e excludentes”, afirma José Luis, ao propor a criação de um novo ambiente escolar que ele denomina “interdiscursivos e comunicativos”, onde se permita uma proposta pedagógica visando à estruturação de uma oficina que intensifique o ensino dos conteúdos do currículo de Artes.

“Nesse contexto, a linguagem das HQs tem valor fundamental. Composta de signos verbais e visuais, representa o meio por onde será transmitida toda a capacidade de expressão estética e artística de seus criadores”, defende José Luis. Na avaliação do pesquisador, balões, onomatopeias, enquadramentos, linhas cinéticas e mesmo de textos, cores e do próprio estilo e traço do artista, permite a “expressão/construção de novos sentidos e significados.”

NA PRÁTICA – Ao defender o uso de fanzines na educação, o professor explica que essas produções artesanais, autorais e independentes “mantêm, no transcorrer de sua história, uma posição ideológica alinhada aos ideais da democracia e da livre expressão, permanecendo próximos aos movimentos culturais da contracultura, como o punk”, exemplifica, sinalizando que as oficinas de fanzine de quadrinhos poético-filosóficos podem ser “ferramenta de elaboração coletiva e colaborativa”.

O autor reforça ainda que sua pesquisa se situa no campo da Comunicação com a Educação, pois reúne elementos expressivos da produção das artes visuais (quadrinhos, fanzines, pinturas modernistas), que, “aliados a uma proposta de democratização e de acesso aos espaços escolares – formais ou informais –, podem proporcionar experiências cognitivas relevantes e memoráveis aos cursos do Ciclo III da Escola Básica, potencializando assim o ensino-aprendizagem”.

Segundo o professor orientador do trabalho, doutor Roberto Elísio dos Santos, “embora os quadrinhos sejam utilizados pelos professores, muitos ainda não sabem como aplica-los para complementar ou auxiliar na retenção dos conteúdos de determinadas disciplinas. Este é o mérito do trabalho de José Luiz dos Santos: o de propor o uso prático das histórias em quadrinhos, especialmente no ensino de Artes”.

Sobre o Mestrado em Comunicação

O programa de Mestrado em Comunicação da USCS objetiva contribuir com a geração e difusão do conhecimento científico no campo da Comunicação e, com isso, dar consecução à missão da universidade junto à comunidade interna e externa. Pretende ainda contribuir na formação de pesquisadores e docentes com visão crítica e científica do campo da Comunicação face a uma sociedade em constante transformação. Informações sobre o programa: http://www.uscs.edu.br/posstricto/comunicacao/.

Mais informações à imprensa:

Universidade Municipal de São Caetano do Sul – Assessoria de Comunicação

Luciano Domingos da Cruz – tel. 4239-3259 – e-mail: comunic@uscs.edu.br

HQ na sala de aula: quadrinhos podem facilitar o acesso ao conhecimento, sinaliza estudo da USCS